top of page
Buscar
  • Foto do escritorDavi Nogueira

Principais dúvidas sobre bancadas de porcelanato

Não importa o número de bancadas de porcelanato que tenham sido observadas em pé, sempre há pessoas que questionam a segurança e a durabilidade desse material quando utilizado em mobiliário. Sempre afirmo que um arquiteto ou designer de interiores competente é aquele capaz de compreender as necessidades e de esclarecer todas as dúvidas do cliente. Quando tratamos das bancadas de porcelanato, a maior dificuldade reside em lidar com os vários mitos que foram difundidos e em não conhecer adequadamente a maneira correta de especificá-las.

Cada material possui características singulares e, ao internalizarmos essa compreensão, a escolha se torna mais simples e precisa. Se você ainda se sente desorientado sobre o tema, a seguir, irei responder às principais perguntas que encontro quase que diariamente acerca das bancadas de porcelanato.



Pode usar bancada de porcelanato no banheiro e na cozinha?


Certamente! Em relação à absorção e resistência, o porcelanato é indiscutivelmente um dos materiais mais excepcionais para aplicação em banheiros e cozinhas. Os porcelanatos e certas pedras sintéticas encabeçam a lista de materiais com menor porosidade. Isso implica que dificilmente ocorrerão manchas de umidade em sua bancada.


A notável resistência mecânica do porcelanato permite seu corte preciso em máquinas, resultando em arestas impecáveis. Esse aspecto é crucial na criação da estrutura da bancada, assegurando um acabamento impecável.


No contexto da cozinha, além da resistência à água, a bancada necessita suportar elevadas temperaturas, utensílios de peso considerável, possíveis arranhões e manchas provenientes de alimentos pigmentados, como vinhos. Diversos tipos de porcelanato são apropriados para essa aplicação, porém não todos. Assim, antes de escolher um porcelanato para a bancada, é imperativo verificar as orientações do fabricante: a massa deve ter correspondência de cor com a superfície, permitindo a realização de acabamentos chanfrados nas bordas, tornando-as mais resistentes contra lascamentos.


Outra consideração relevante em bancadas de cozinha são as cubas. É crucial proteger as arestas internas e recomenda-se o uso de cubas sobrepostas ou com um sistema "flush", que propicia uma instalação alinhada entre a cuba e a bancada, resultando em perfeição visual.

Bancada de banheiro executada em Nero Venato, sobre estrutura de serralheria (Projeto: Officina Portobello)


Bancada de porcelanato sempre tem emenda?


Até alguns anos atrás, uma das principais preocupações relacionadas às bancadas de porcelanato eram as junções visíveis. Afinal, além de impactarem negativamente o aspecto estético, os rejuntes costumavam tornar a limpeza da superfície mais complexa, resultando em um acúmulo gradual de sujeira e descoloração ao longo do tempo. No entanto, com a crescente popularidade das Lastras, que são porcelanatos em formatos generosos, criar bancadas se tornou substancialmente mais simples. É viável utilizar, por exemplo, placas de dimensões 3mx1m para compor uma peça única. O resultado é uma superfície contínua e homogênea, desprovida de junções visíveis. Esse efeito não apenas adiciona um toque de sofisticação, mas também contribui para um visual limpo e impecável.

Como é feita a instalação da bancada de porcelanato?


Ainda é bastante comum entre os profissionais a ideia equivocada de que uma bancada de porcelanato consiste em uma estrutura de alvenaria revestida com porcelanato. Na realidade, tanto o porcelanato quanto o reforço subjacente são suficientes para sustentar a estrutura de forma independente.


Normalmente, a fixação na parede é realizada através de mão-francesa ou grapas embutidas. Em ambientes como cozinhas e banheiros, é frequente que as bancadas sejam suportadas pelos próprios armários. Caso a bancada seja de grandes dimensões ou apresente peso substancial, é essencial contar com uma estrutura metálica para reforço, além do suporte da marcenaria.


E, assim como em todo o processo de construção, a execução das bancadas também exige prazos consideráveis. Após a encomenda, é necessário ter os pontos de água e esgoto definidos, permitindo a medição técnica, elaboração do projeto executivo e, somente então, a produção da bancada. Os prazos variam amplamente dependendo da empresa e da complexidade do projeto. Portanto, aqui reside a importância crucial de um planejamento de construção minucioso, que antecipe os prazos de execução e entrega de todos os componentes de um projeto.


Bancada de banheiro executada em Dansk Cement White (Projeto: Officina Portobello)


Precisa de mão de obra especializada?


Um equívoco frequente é supor que o pedreiro encarregado de assentar o piso seja também apto a realizar os cortes necessários nas bancadas. Para garantir um resultado seguro e esteticamente agradável, é imperativo contar com mão de obra especializada. Uma das principais complexidades reside nas arestas, que demandam um acabamento de meia esquadria ou um corte inclinado de 45 graus em banheiros e áreas sociais, e um biselado em cozinhas. Executar essa tarefa requer considerável expertise técnica!

Qual o melhor porcelanato para bancadas?


O porcelanato mais adequado para bancadas é aquele recomendado especificamente pelo fabricante para essa finalidade. De modo geral, os porcelanatos polidos tendem a ser mais vulneráveis a arranhões, razão pela qual optamos por selecionar porcelanatos em acabamento natural para bancadas. No entanto, é importante ressaltar que nenhum tipo de porcelanato pode resistir a um uso incorreto e excessivamente agressivo.


Recentemente, a Portobello introduziu um tipo de porcelanato especialmente concebido para bancadas, conhecido como Color Body. Sua tecnologia assegura que a cor da massa seja idêntica à superfície visível. Com essa característica, é viável aplicar um acabamento biselado na borda, conferindo à bancada da cozinha uma resistência superior a lascamentos, sem comprometer a aparência final.


Bancada de porcelanato trinca?


A preocupação mais comum entre os clientes em relação às bancadas de porcelanato diz respeito a lascas e trincas. É relevante enfatizar que qualquer aresta afiada está sujeita a rachaduras, seja em uma bancada feita de pedra natural, porcelanato ou qualquer outro material. No entanto, quando a instalação é realizada por uma empresa especializada, a probabilidade de ocorrência é substancialmente reduzida.


Tenho o hábito de ressaltar que o elemento mais crucial é considerar o zelo do morador em relação à bancada. Seja ela feita de porcelanato ou de outra substância, a bancada não foi concebida para ser utilizada como degrau, para saltos, para arrastar objetos não esmaltados, ou para atirar panelas de um lado para o outro. Infelizmente, não se pode garantir resistência ao uso indevido.


Quanto custa uma bancada de porcelanato?


O custo da sua bancada é influenciado pelo valor da mão de obra e do material escolhido. No caso dos porcelanatos, o mercado apresenta uma ampla gama de preços, variando de R$70 a R$1500 por metro quadrado. Esse valor é determinado pelo padrão do porcelanato, pelo seu formato e pela tecnologia empregada na sua produção.


Uma peça de 60x120cm terá um preço consideravelmente inferior ao de uma Lastra de 120x280cm. Por essa razão, não existe uma fórmula precisa para calcular o custo da sua bancada de porcelanato ou mesmo para compará-la diretamente com uma bancada feita de pedra natural. A tarefa de resolver essa equação cabe exclusivamente a empresas especializadas na execução de bancadas de porcelanato, sendo a Officina Portobello uma referência notável nesse domínio.


Como limpar bancada de porcelanato?


O porcelanato é reconhecido por ser um revestimento de limpeza fácil, especialmente em suas versões polidas ou naturais. Com muitas bancadas sendo fabricadas a partir de Lastras que minimizam as junções, o processo de higienização se torna ainda mais conveniente. Dessa forma, não há necessidade de se preocupar com o acúmulo de poeira e outras impurezas nas áreas de rejuntes.


No cotidiano, para realizar a limpeza prática da bancada de porcelanato, comece retirando a poeira que se acumula na superfície e, em seguida, passe um pano umedecido em uma solução de 1 colher de sopa de detergente neutro para cada 5 litros de água. Enxágue de maneira usual e finalize com um pano seco para prevenir manchas.


É importante ressaltar que algumas substâncias químicas podem corroer a estrutura do porcelanato, causando danos permanentes. Portanto, evite aplicar ceras, impermeabilizantes e ácidos sobre o material. Além disso, é recomendado não utilizar materiais abrasivos, como escovas de cerdas duras e palhas de aço, que têm potencial para riscar o revestimento.



Gostou das dicas? Não se esqueça de compartilhar nosso conteúdo :)

Até a próxima!

ความคิดเห็น


bottom of page