top of page
Buscar
  • Foto do escritorDavi Nogueira

Porcelanato, cerâmica e pastilha: conheça os revestimentos



Entenda as diferenças técnicas e estéticas entre porcelanato, cerâmica e pastilha e inspire-se em projetos incríveis


Compreender as diferenças técnicas e estéticas entre porcelanato, cerâmica e pastilha é essencial ao escolher revestimentos para sua casa. Esses materiais oferecem uma ampla variedade de opções, tornando a pesquisa uma parte importante do processo de renovação de pisos e paredes. Neste artigo, vamos fornecer informações sobre as características técnicas de cada um desses produtos, suas vantagens e desvantagens no uso diário, além de apresentar alguns projetos incríveis que podem inspirar suas escolhas.


Porcelanato, cerâmica e pastilha: qual a diferença?


Antes de nos inspirarmos em projetos incríveis, vamos explorar um pouco mais cada tipo de revestimento: porcelanato, cerâmica e pastilha. É fundamental compreender suas características e aplicações específicas. Vamos lá:


Porcelanato

Essa cozinha traz porcelanato no piso e cerâmica na parede, entendendo a necessidade de resistência de cada superfície (Projeto: Portobello)


O porcelanato é considerado o revestimento mais resistente e tecnológico disponível atualmente. Sua fabricação envolve o uso de materiais nobres e um processo de queima em altíssimas temperaturas, o que confere uma resistência técnica excepcional. A indústria do porcelanato está constantemente evoluindo em termos de tecnologia, resultando também em uma qualidade estética elevada. Um marco importante nessa evolução foram as Lastras.

Classificado como um tipo de revestimento cerâmico, o porcelanato é composto principalmente por argila e água, juntamente com matérias-primas nobres que conferem alta qualidade ao produto. Por exemplo, rochas são incorporadas à sua composição, proporcionando uma maior resistência mecânica.

Uma das grandes vantagens do porcelanato é sua capacidade de reproduzir fielmente materiais naturais, como madeiras, mármores e pedras, de forma mais sustentável e acessível. Seu processo de extração e fabricação resulta em um produto durável, oferecendo excelente custo-benefício.


Principais características

O porcelanato é ótimo para bancadas, balcões e mesas, especialmente nas versões em grandes dimensões (Projeto: Maria Araújo / Foto: Felipe Araújo)


O porcelanato possui uma altíssima resistência, podendo ser aplicado em diversos ambientes, desde aqueles de baixo tráfego até espaços de alto tráfego, inclusive ambientes industriais. Ao escolher o porcelanato, é importante verificar a sua classificação quanto ao "local de uso" para selecionar o mais adequado ao projeto.

É importante destacar que os porcelanatos também são indicados para áreas molhadas. O cuidado necessário nesses casos é considerar o atrito do material. Prefira os modelos com acabamento natural ou externo, pois são menos escorregadios.

Outro benefício do porcelanato é a presença de juntas de assentamento discretas. Nos modelos retificados, as peças possuem o mesmo tamanho, permitindo o assentamento com juntas de apenas 1,5 mm. Isso torna as juntas de rejunte mais discretas, quase imperceptíveis.

A versatilidade do porcelanato é surpreendente, com opções de revestimento polido, natural e externo. Ele pode ser utilizado em pisos, fachadas e até mesmo na confecção de mobiliários, como bancadas, balcões e mesas, permitindo uma ampla gama de aplicações criativas.

A manutenção do porcelanato é bastante fácil. Basta varrer e passar um pano úmido com água e sabão neutro ou detergente. Devido às características do material, é incomum a ocorrência de marcas e manchas na superfície.

O porcelanato também é valorizado por sua capacidade de reproduzir com grande fidelidade a estética de outros materiais, como madeira e pedras nobres, proporcionando conforto e beleza. Por essas razões, o porcelanato é considerado uma das melhores opções no mercado.

O porcelanato está disponível em grandes formatos, conhecidos como Lastras, que conferem uma sensação de amplitude aos ambientes. Além disso, seu uso permite melhor aproveitamento de cada peça, adaptando-as para uma paginação perfeita. As Lastras oferecem um acabamento fino e elegante, tornando qualquer ambiente mais bonito.

Em termos de sustentabilidade, o porcelanato é um material de construção reciclável que não causa impacto ambiental ao ser descartado. Pode ser reutilizado como insumo na construção civil e não libera substâncias tóxicas no ambiente. Além disso, ao reproduzir materiais como mármore, pedras e madeira, contribui para a preservação desses recursos naturais.



Cerâmica

(Projeto: Larissa Mendes / Foto: Luiz Franco)


As cerâmicas são uma opção de revestimento presente no mercado brasileiro há bastante tempo. Elas são produzidas a partir da mistura de argila e outros compostos, sejam eles naturais ou sintéticos. Assim como o porcelanato, as cerâmicas passam por um processo de fabricação, porém com uma diferença importante: o consumo de água é menor.

As cerâmicas são consideradas um material mais básico em comparação ao porcelanato. Geralmente possuem formatos menores, menor resistência, menos tecnologia e menos variedade de design. No entanto, ainda são uma excelente opção para pisos de locais com baixo tráfego, paredes e projetos com orçamento mais limitado.


Principais características

Em espaços de grande circulação, a cerâmica funciona bem nas paredes, combinada com o porcelanato no piso (Projeto: Doma Arquitetura / Foto: Fran Parente Fotografia)


A cerâmica é valorizada pelo seu custo acessível, sendo uma opção com ótimo custo-benefício. No entanto, isso não significa que a cerâmica comprometa a qualidade e a durabilidade - na verdade, ela costuma ser tão durável quanto o porcelanato. Além disso, existem diversos modelos disponíveis no mercado, oferecendo uma ampla variedade de escolhas, e sua manutenção é simples.

A cerâmica é altamente resistente, mas essa resistência é alcançada somente após a sua aplicação. Durante o manuseio e o transporte, é importante ter cuidado para evitar quedas ou impactos que possam causar quebras.

A facilidade de limpeza é outra vantagem da cerâmica. Ela não permite a proliferação de bactérias e fungos, tornando-a uma opção favorável para pessoas com problemas alérgicos e respiratórios. A limpeza pode ser feita apenas com detergente neutro e um pano úmido.

Em termos estéticos, a cerâmica oferece uma variedade de padrões, alguns mais naturais, remetendo a materiais como a argila, e outros mais elaborados, com estampas e desenhos. A maioria das peças de cerâmica possui bordas arredondadas, já que não são retificadas.


Pastilha

Misturar cores e texturas em alguns detalhes deixa o ambiente com personalidade (Projeto: Thalita Bozi)


Ao contrário dos outros revestimentos mencionados, as pastilhas são frequentemente utilizadas como elementos decorativos em paredes, bancadas, piscinas e fachadas. Elas possuem formatos pequenos e geralmente são vendidas em telas.

As pastilhas desempenham principalmente um papel de criação de detalhes e personalização do ambiente, de acordo com as preferências do cliente. Elas são comumente feitas de porcelana, cerâmica ou vidro, mas também existem opções mais recentes em metal e madeira.

A delicadeza é o principal atributo que diferencia essas peças de outros revestimentos. Geralmente, são comercializadas em placas e exigem atenção especial durante o processo de assentamento.


Principais características

As pastilhas são conhecidas por proporcionarem beleza e criatividade aos ambientes, mesmo em seu tamanho reduzido. Elas trazem destaque e um toque de inovação, preservando a durabilidade e resistência. As pastilhas estão disponíveis em diversas tonalidades, desde placas com nuances variadas até aquelas compostas por peças idênticas.

É importante mencionar que as pastilhas geralmente possuem um custo mais elevado em comparação à cerâmica comum e ao porcelanato. No entanto, seu uso costuma ser focado em áreas menores, como faixas em paredes, evitando sobrecarregar o ambiente.

Quanto à resistência à umidade, é necessário avaliar cada caso individualmente. Se as pastilhas forem aplicadas em paredes que estão expostas a água ou vapor, não há problemas. No entanto, se houver alguma infiltração na parede, é essencial eliminá-la completamente antes da aplicação das pastilhas.

As pastilhas são altamente duráveis e tendem a permanecer intactas por um longo período, mantendo seu brilho e características naturais. No entanto, é importante ter cuidado com o uso de produtos químicos, pois dependendo do produto e de sua concentração, as pastilhas podem ser danificadas.

Uma vantagem das pastilhas é sua flexibilidade e capacidade de se adaptar a diferentes formatos de parede, permitindo uma fácil instalação em superfícies curvas, por exemplo.


Porcelanato, cerâmica e pastilha: qual o melhor ambiente para cada um?


Áreas externas

Projeto: Fernanda Villefort / Fotos: Jomar Bragança


Antes de escolher o revestimento adequado, é essencial considerar se o ambiente de aplicação será interno ou externo. Em particular, ao pensar em áreas externas ou sujeitas a umidade, tanto em residências quanto em espaços públicos, é importante levar em conta os tipos de revestimento com resistência ao escorregamento, popularmente conhecidos como "antiderrapantes", que oferecem maior atrito e segurança.

Além disso, é crucial prestar atenção a outras características, como facilidade de limpeza, resistência química, expansão por umidade e absorção de água.

A norma brasileira estabelece as características que os porcelanatos, cerâmicas e pastilhas devem possuir. Para áreas molhadas, é definido que o revestimento de piso deve ter um coeficiente de atrito igual ou superior a 0,4, independentemente de ser usado em ambientes internos ou externos.

Na Pastilhacor, consideramos que esse valor pode ser considerado baixo para áreas externas, onde muitos acidentes podem ocorrer. Portanto, recomendamos o uso de porcelanato com coeficiente de atrito igual ou superior a 0,6 para áreas externas planas e 0,8 para rampas de até 12,5%. Isso proporciona uma superfície mais segura em ambientes externos, evitando possíveis escorregões e quedas.


Áreas internas

As cerâmicas são ótimas para dar mais cor e personalidade a ambientes como cozinhas e banheiros (Projeto: Doma Arquitetura / Fotos: Mariana Orsi)


Para ambientes internos, é recomendado o uso de porcelanatos, cerâmicas e pastilhas com absorção de água de até 10%. Em áreas secas, é possível optar pelo acabamento polido, que possui um coeficiente de atrito de 0,3, proporcionando um ambiente mais clássico e sofisticado. Tanto as cerâmicas quanto os porcelanatos são adequados para esses ambientes.

Existem também opções com texturas e relevos interessantes. Um exemplo é o porcelanato ripado, que reproduz ripas de madeira. Esse material é sustentável e resistente, além de conferir um ambiente mais acolhedor e adicionar diferentes texturas à decoração. Ele pode ser utilizado como revestimento de parede ou até mesmo na cabeceira da cama.

No caso de áreas internas, as pastilhas também são uma excelente opção para cozinhas e banheiros. No banheiro, podem ser aplicadas em nichos na parede ou em toda a área do chuveiro. Na cozinha, podem ser utilizadas para revestir paredes de destaque, como a área atrás da pia, proporcionando mais cor e vida ao espaço.

Vale ressaltar que atualmente as pastilhas estão disponíveis em uma ampla variedade de modelos e formatos, indo além dos tradicionais. Elas podem apresentar diferentes texturas, estampas, mosaicos e até mesmo composições em degradê.

A Portobello oferece diversas opções de porcelanatos, cerâmicas e pastilhas. Que tal escolher uma delas para renovar a sua casa? Explore os lançamentos mais recentes e encontre o revestimento perfeito para o seu projeto.



Gostou das dicas? Não se esqueça de compartilhar nosso conteúdo :)

Até a próxima!

Comentarios


bottom of page